Arquivo mensal: agosto 2013

Felinos Rycos

Os gatos de hj estão mais mimadinhos, tem wiskas sachê uma vez por semana, ração bacanuda, carinho e colinho aos montes. Mas esses mesmos gatos rycos estão condenados à eterna clausura por telas que os cercam de todos os lados. Já que os meus pequenos estão reclusos à prisão perpétua, penso que é importante manter um ambiente ao menos interessante pra eles. Assim, dá-lhe criatividade e grana pra melhorar o ap pra eles. Sei que quem tem um gatinho em casa, e tem a mínima preocupação com o bem-estar deles, pensa em que pode melhorar pra dar mais saúde e alegria pro bichano. Aqui em casa implantamos algumas coisas.

A mais cara engenhosa é o conjunto de prateleiras

Sou o rei da pedra do rei...

Sou o rei da pedra do rei…

Ai, uma barata!!!!

Ai, uma barata!!!!

E se a gente brincasse de telefone sem fio??

E se a gente brincasse de telefone sem fio??

Como vcs podem perceber pela última foto, nossa sala é um pardieiro ambiente que procura ser enriquecido! Essa coisa “linda” de madeira foi um presente da minha mãe. Alice comprou a ideia rapidinho e é o arranhador preferido dela.

Mas nem tudo demanda investimento. Mesmo pq os gatos fizeram um voto de pobreza quando vieram ao mundo e amam apaixonadamente coisas simples como caixas de papelão e bolinhas de papel. Por isso nunca falta nenhum desses pela casa (fico imaginando o que pensa a faxineira quando encontra as bolinhas de papel embaixo de sofá e geladeira: “casalzinho porco, custa jogar o papel no lixo??). Mas, pra não ficar tão zoneado, dá pra customizar um pouco as coisas. Essa aí embaixo é uma caixa que eu encapei com chita. Ela tá mais visível aqui, mas é que Alice tava tão linda nessa foto…

Pq me incomoda?

Pq me incomoda?

E eu gosto de inventar brinquedos pra eles. Os preferidos deles são varinhas com qualquer coisa caçável na ponta. Aqui, eu já fiz com penas e tb com tiras de feltro. Feltro que eu usei pra forrar as prateleiras pq eles estavam levando tombos cinematográficos. Feltro que me levou ao encantado mundo da alta costura felina: brinquedos recheados com catnip.

Promovendo o canibalismo felino

Promovendo o canibalismo felino

É isso, só queria dividir com vocês o que a gente apronta por aqui pra deixar a casa mais gata e menos arrumada!!

Gerenciamento de crise

Sou jornalista e trabalho em um órgão público. Portanto, eu e a equipe de comunicação com que trabalho estamos acostumados a lidar com crises. Mas, quando a crise é aqui em casa, entre os felinos, eu não sei, não quero e não faço a mínima ideia de como administrar o caos.

É uma longa história! No começo da semana, quando o zé chegou em casa na hora do almoço não encontrou o chico. Me ligou:

– Amor, não encontro o Chico em lugar nenhum, chacoalhei o potinho de petiscos e ele não aparece. Ele estava em casa, quando vc fechou a porta pela manhã?

– (Respiro tentando me controlar, revejo a cena da manhã e tenho certeza de que sim, ele estava lá). Amor, claro que estava, já viu atrás da poltrona?

Zé desliga, eu penso se volto a trabalhar ou se corro pra casa aos prantos (sim, eu sou dramática!). Pondero, sou uma mulher adulta e o Chico é “só” um gato, não posso deixar de trabalhar pq meu “só um gato” resolveu sumir (eu não acredito nessa ponderação, não é só um gato, é o meu piquitinho preto mais lindo do mundo, que depende de mim, que nunca pisou na rua, indefeso etc. etc).

Zé liga minutos depois e explica:

– Encontrei o Chico escondido atrás da poltrona, enrolado em uma sacola plástica, muito assustado e aparentemente com dor…

Me digam, como passa uma tarde de trabalho imaginando o que, diabos, aconteceu com o Chico, que passou o resto da tarde desconfiadíssimo, arrepiando pra Alice e fugindo do Zé… Cheguei no fim da tarde, levamos à veterinária, ela constatou a dor, deu uma injeção de antiinflamatório, ele voltou pra casa, Alice, uma linda, sentiu o cheiro estranho, mas deu umas lambidinhas nele e boa.

Ele está melhor, mas ainda dolorido. Essa é a primeira crise.

Alice anda coçaninho a orelha, pendendo a cabecinha, sinal de otite, claro. Levamos a bela pra veterinária. Realmente, ouvido inflamado. Pq? Pq, provavelmente, senhor Chico anda lambendo demais a orelha dela e a deixando úmida. A assistente da veterinária (que pegou uns cem bichos naquele dia) alisou a Alice até cansar.

Chegamos em casa e o que acontece? Chico acredita que trocamos Alice por qualquer outra siamesa gordinha que passava pela rua. Cuspiu, silvou, arrepiou, bateu. Alice, meu Deus, que delícia de gata, ficava arrulhando perto, correndo, chamando pra brincar, mostrando a barriga.

Não sei, gente, não consigo lidar com brigas entre eles! Tenho vontade de chorar! É assim mesmo?

Ele esqueceu da birra e começou a se aproximar dela, mas quando chegava perto sentia o cheiro da “bendita” assistente, paralisava e voltava atrás.

Peguei a mantinha deles, esfreguei na Alice até ela começar a balançar o rabo com vontade de me matar e fui tomar banho. Quando voltei pra sala, encontrei a bandeira branca hasteada. Mas, óh, não sirvo pra gerenciar crise de gato, não…

Que foi? Pra que o drama? Vc não sabe que eu sou irresistível??

Que foi? Pra que o drama? Vc não sabe que eu sou irresistível??

 

Luz na passarela, que lá vem ela…

Há um ano essa bola de pelo com olho azul entrou pela porta do meu apartamento, ocupou espaço no meu coração e virou a rainha da gente!

Lembro direitinho o olhar assustado, a corrida pela cozinha, área e esconderijo embaixo do armário. A primeira manhã, que a piquitinha acordou disposta a brincar. Lembro da minha falta de jeito com gatos, da demora em compreender que ela ia ser ganha aos poucos e não ia me lamber ou fazer festa igual cachorro.

Há um ano, a gente começou uma aventura deliciosa ao lado dela! Obrigada, Licitcha, por nos conduzir a esse universo felino tão desconhecido por tanta gente. Obrigada, por nos ensinar a paciência, o cuidado e o tempo de cada coisa: do carinho, da brincadeira, da birra, do respeito e de um monte de coisas que ainda não sabíamos, até vc entrar pela porta, magrela e zoiuda.

Agora, com vocês, a estreia da nossa Godinha!

Quem é essa gente estranha?

Quem é essa gente estranha?

Como não tem saída, vou encostar aqui e dormir com essa faixa estranha na barriga... Pq me cortaram, gente? E vcs querem que eu goste de vcs???

Como não tem saída, vou encostar aqui e dormir com essa faixa estranha na barriga… Pq me cortaram, gente? E vcs querem que eu goste de vcs???

Hora da janta?

Hora da janta?

Humm, essa gente tá começando a me agradar...

Humm, essa gente tá começando a me agradar…

CAIXA???? Eu adoooro caixa! Amo vcs, gente!

CAIXA???? Eu adoooro caixa! Amo vcs, gente!